O futuro incerto de ‘Chaos Walking’ e o desafio da Lionsgate

Tendo o início das gravações em agosto de 2017, “Chaos Walking”, filme baseado no livro de mesmo nome, e dirigido por Doug Liman, vem passando por sérios problemas em seu estúdio, a Lionsgate.

Estrelado por Tom Holland e Daisy Ridley, o longa já soma US$ 100 milhões em seu orçamento inicial, o que já está no limite do estúdio que vem sofrendo com problemas financeiros há aproximadamente dois anos.

Segundo o jornal Wall Street, ano passado foi apresentado o primeiro corte do filme para alguns executivos que não gostaram nada do que assistiram, sendo isso o principal motivo das refilmagens que estão acontecendo esse mês em Atlanta, que terá duração de aproximadamente 3 semanas. O intuito delas, é acrescentar novas cenas e melhorar as críticas. Mas o problema não se encerra aí: as regravações estarão custando mais alguns milhões aos cofres da Lionsgate, que associa também isto ao fato do diretor Doug Liman ter antigas produções notoriamente problemáticas, como “A Identidade Bourne” e “No Limite do Amanhã”, que passaram por grandes refilmagens e aumento em seus orçamentos. Vale ressaltar que ano passado a produtora retirou o filme do seu catálogo de lançamentos.

Devido a reputação do diretor, “Chaos Walking” poderá ser o próximo fracasso de Hollywood com um orçamento altíssimo. Mas isso, só o tempo dirá, já que o filme também estará passando por grandes mudanças devido as refilmagens. Diante disso, também temos o elenco de peso e a falta de produções de distopias em Hollywood.

“Chaos Walking” segue sem data de lançamento, segundo previsões o filme não deve ser lançado antes de março de 2020.

 

Fonte: x

DEIXE SEU COMENTÁRIO